22/04/2011

Uma Pequena Fábula Doutrinária

Posted in O Melhor dos Mundos Possíveis tagged , às 13:50 por Roger Lopes

Salve estimados súditos e nobres do Castelo Republicano da Westphalia Tupiniquim. Meu coração retumbante se comove com as recentes propagandas alardeadas por nossos príncipes acerca dos glamourosos investimentos na Educação da famélica e andrajosa plebe desinstruída. Pilar dos reinos civilizados em contraste à selvageria dos povos bárbaros. Tão corajoso ato de benevolência com o desafortunado rebanho e de magnânima austeridade contra intelectuais irascíveis que se recusam a adotar como modelo a postura de meu voluntarioso mestre Pangloss, cujos ensinamentos eram regiamente remunerados apenas com pão e água, para evitar que perecesse de inanição, leva-me a crer fervorosamente que vivemos indiscutivelmente no melhor dos mundos possíveis.

Deleito-me com as campanhas de difamação, humilhação e açoite público destinadas aos insurgentes que se auto-proclamam professores, querendo manter de forma egoísta o conhecimento perene que levaram décadas para adquirir e, ainda por cima, exigindo de nossa realeza que compartilhe com eles a ínfima parte dos tributos arrancados do aguerrido populacho, sendo falaciosa a afirmação de que nossos príncipes os desmotivam a ensinar os animais bípedes deste quintal globalizado. As belas palavras de comiseração, os slogans bem construídos, as emotivas e singelas canções de fundo e as simpáticas coreografias antes da retumbante descida das cortinas, magistralmente elaboradas por nossos menestréis publicitários, deixam meus olhos míopes tão marejados quanto mediante o vislumbre do rosto maquiado de minha amada Cunegunda, por mais que palácios invejosos como o Unesco, insistam em afirmar que os resultados conquistados por nossos regentes sejam pífios. Como se fosse fácil ensinar burro a beber água.

Reclamam de barriga cheia de ar esses ingratos educadores. pois, eu que já sofri as agruras da chibata por amar a virtude, sei que tudo está bem mesmo quando tudo está mal, afinal a implantação dos programas de valorização por produtividade compensa o envelhecimento precoce do pão, a contaminação da água e a labuta incansável dos adoradores da insanidade socrática em campos de tortura denominados Escola, causando-me tamanha repulsa a atitude iluminista dos docentes deste Castelo, que nem me darei o luxo de elucubrar as modernas doutrinas construtivistas trazidas de além mar, cujos territórios sapientes as abandonaram por simples pragmatismo há tempos, pois não tiveram a majestosa criatividade dos alquimistas da Westiphalia, que como o glorioso Midas transformam tudo em que tocam em ouro-dos-tolos.

Originalmente publicado no site Negação Lógica (junho/2010 )

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: